Menu fechado

O Pai Nosso (3ª parte)

Publicado em:Mensagens,Pr Wilson Greve,Série "O sermão do monte"

Pr Wilson R. Greve (18/11/18)

Texto bíblico básico:  Mateus 6.12-15

Perdoa as nossas dívidas, assim como perdoamos aos nossos devedores

Que dívidas são essas – nossas e dos outros?

No NT grego há várias palavras traduzidas por dívida ou culpa:

  • Amartia: errar o alvo
  • Parabasis: cruzar a linha que separa o bem e o mal
  • Paraptoma: queda, escorregão
  • Anomia: atuar fora da lei
  • Ofeilema: dívida

Esses pecados que observamos nos outros e que sofremos deles ajudam-nos a entender os nossos próprios – e precisamos aprender o exercício do perdão.

Algumas condições para obter o perdão dos pecados e conseguir perdoar:

Arrependimento: “Em seu nome seria pregado o arrependimento para perdão de pecados de todas as nações, começando por Jerusalém” (Lucas 24.47).

Confissão: “Se confessarmos nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça” (1 João 1.9).

Fé: “Sem fé é impossível agradar a Deus, pois quem dele se aproxima precisa crer que ele existe e que recompensa aqueles que o buscam” (Hebreus 11.6).

A necessidade e a prática de perdoar:

Como superar os pecados dos outros que consideramos imperdoáveis?

Então o senhor chamou o servo e disse: servo mau, cancelei toda a sua dívida porque você me implorou. Você não devia ter tido misericórdia do seu conservo como eu tive de você?” (Mateus 18.32-33)

Pergunta a quem não consegue perdoar: E o seu pecado, que Cristo levou à cruz, como fica?

Não nos deixes cair em tentação 

O que é tentação? Alguns sentidos para o termo original peirasmós: teste, prova, tentação como indução ao pecado.

Portanto, o pedido é: Não me deixes falhar na prova. Exemplo:

Deus pôs Abraão à prova, dizendo-lhe: …toma teu filho, seu único filho, Isaque, a quem você ama, e vá para a região de Moriá. Sacrifica-o ali como holocausto…” (Gênesis 22.1-2).

Lembrando também:

Jesus foi levado pelo Espírito Santo para ser tentado pelo diabo” (Mateus 4.1).

As origens da tentação

Externas: “Como é feliz aquele que não segue o conselho dos ímpios, não imita a conduta dos pecadores, nem se assenta na roda dos zombadores” (Salmo 1.1).

Aqueles que nos amam: “Os inimigos do homem serão os da sua própria família. Quem ama seu pai ou mãe mais do que a mim não é digno de mim; quem ama seu filho ou sua filha mais do que a mim não é digno de mim” (Mateus 10.36-37).

“Quando seus familiares ouviram falar disso, saíram para trazê-lo à força, pois diziam: Ele está fora de si.”
(Marcos 3.21).

Internas: “Essas coisas aconteceram a eles como exemplos e foram escritas como advertência para nós, sobre quem tem chegado o fim dos tempos. Assim, aquele que julga estar firme, cuide-se para que não caia!” (1 Coríntios 10.11-12)

Solução e conclusão:

Livra-nos do mal.

“Sabemos que somos de Deus e que o mundo todo está sob o poder do Maligno” (1João 5.19).

“Não sobreveio a vocês tentação que não fosse comum aos homens. E Deus é fiel; ele não permitirá que vocês sejam tentados além do que podem suportar. Mas, quando tentados, ele mesmo lhes providenciará um escape, para que o possam suportar” (1 Coríntios 10:13).

Teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Amém.

“Tu, Senhor e Deus nosso, és digno de receber a glória,a honra e o poder, porque criaste todas as coisas e por tua vontade elas existem e foram criadas” (Apocalipse 4.11).