Menu fechado

Natal, uma obra do acaso?

Publicado em:Cultos especiais,Mensagens,Pr Wilson Greve

Pr Wilson R. Greve (23/12/18)

Texto bíblico básico: Mateus 1.18-25 e Lucas 1.26-38

O Natal é uma festa de alegria contagiante, mas é também muito mais do que isso. Ele começou já no Jardim do Éden e ainda não terminou.

Os textos bíblicos básicos desta mensagem relatam as visitas do anjo a José e Maria para informá-los a respeito do nascimento de Jesus e do papel deles nessa história.

Mateus também mostra que Jesus nasceu da linhagem de Davi e como assim o amor de Deus acompanhou a humanidade desde sempre.

O Natal se deve à soberania de Deus

O livro de Esdras mostra o cuidado de Deus em preservar a linhagem que levaria a Jesus através de todos percalços do cativeiro babilônico e do retorno de lá:

Esta é a lista dos homens da província que Nabucodonosor, rei da Babilônia, tinha levado prisioneiros para a Babilônia. Eles voltaram para Jerusalém e Judá, cada um para sua própria cidade. Vieram na companhia de Zorobabel, Jesua, Neemias, Seraías, Reelaías, Mardoqueu, Bilzã, Mispar, Bigvai, Reum e Baaná (Esdras 2.1-2).

Poucos daqueles cativos retornaram a Canaã, mas Deus providenciou a preservação e o retorno daquela família da qual viria Jesus:

Então Zorobabel, filho de Sealtiel, e Jesua, filho de Jozadaque, começaram a reconstruir o templo de Deus em Jerusalém. E os profetas de Deus estavam com eles e os ajudavam (Esdras 5.2).

Assim, o Natal tem um valor muito maior do que a festa – é Deus movendo-se ao longo da História.

O Natal se deve à submissão de Maria

Quando o anjo explicou a Maria as circunstâncias do nascimento de Jesus, ela respondeu:

“Sou serva do Senhor; que aconteça comigo conforme a tua palavra”. Então o anjo a deixou (Lc 1.38).

Para nós vale a pergunta: Será que teríamos a mesma disposição dela?

Quanto compartilhamos sobre o nascimento de Jesus?

O Natal se deve ao cumprimento das profecias:

Porei inimizade entre você e a mulher, entre a sua descendência e o descendente dela: este lhe ferirá a cabeça e você lhe ferirá o calcanhar (Gn 3.15).

A história do Natal começou no Éden, mas cumpriu-se plenamente com a ressureição de Cristo – Emanuel, Deus conosco.

O Senhor mesmo lhe dará um sinal: a virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e o chamará Emanuel (Is 7.14).

Quais são as implicações desses acontecimentos para nós?

Os resultados do Natal

Em Cristo, Deus se encarnou:

Aquele que é a Palavra tornou-se carne e viveu entre nós. Vimos a sua glória, glória como do Unigênito vindo do Pai, cheio de graça e de verdade (Jo 1.14).

Jesus é o nosso Salvador. Ele diz:

Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso. Tomem sobre vocês o meu jugo e aprendam de mim, pois sou manso e humilde de coração, e vocês encontrarão descanso para as suas almas (Mt 11.28-29).

Jesus é o Deus presente (Emanuel). Ele prometeu:

Estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos (Mt 28.20).

O Natal não é somente a lembrança do nascimento de Jesus; é a manifestação do amor de Deus através da História!